Usina Nardini

Nardini promove atividades de educação patrimonial com apoio da UNESP

Nardini promove atividades de educação patrimonial com apoio da UNESP
Nardini promove atividades de educação patrimonial com apoio da UNESP
Nardini promove atividades de educação patrimonial com apoio da UNESP

Nardini promove atividades de educação patrimonial com apoio da UNESP

O clube recreativo da Nardini sediou atividades de educação patrimonial no dia 10 de março. No período da manhã, o público foi composto por colaboradores da empresa e a tarde participaram Professores de História, Artes e Geografia da rede pública de ensino das delegações de Jaboticabal, Taquaritinga e Catanduva. No total foram representados 17 municípios.
A programação do evento consistiu na realização de palestras e oficinas sobre arqueologia regional com oficinas de lascamento, modelagem em argila, pintura de decoração indígena Guarani, em réplica de vasilha de cerâmica indígena e arte rupestre. Também foram disponibilizadas apostilas, com textos para leituras. A partir desses cursos, os professores poderão utilizar estes conteúdos, replicando na sala de aula.
O Engenheiro Ambiental, Anderson Rodrigo Robes realizou a abertura das atividades e falou aos presentes sobre a importância do evento, ressaltando que a promoção desta capacitação é a conclusão de um estudo arqueológico que faz parte do licenciamento ambiental da ampliação da capacidade de moagem da Nardini, sendo executado conforme as diretrizes do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN.
"A população tem pouco acesso sobre pesquisas arqueológicas, então a educação patrimonial é uma forma de educar o senso crítico das pessoas, para conhecerem as histórias dos indígenas que num período foram contadas de forma tão pejorativa. Esses professores podem desconstruir essa imagem negativa que tivemos dos primeiros habitantes, demonstrando pra eles características das técnicas de produção e cultura que os estudos arqueológicos são capazes de demonstrar e, com isso, todo conhecimento que passamos hoje poderem ser transmitidos para seus alunos a longo prazo, ou seja, de todas as séries e nos campos que trabalharem", disse a Arqueóloga Juliana Zago.
As atividades foram desenvolvidas por Juliana Aparecida Rocha Luz Zago - Arqueóloga, Gustavo de Jesus Andrade - mestrando em Geografia e Rodrigo José - graduando em Geografia. A equipe faz parte do Laboratório de Arqueologia Guarani e Estudos da Paisagem (FCT/UNESP), campus de Presidente Prudente, SP.

Sobre o momento atual

COVID-19